Seja Vegetariano em 3 Passos

 

Como fazer a mudança


Se pensa adoptar uma dieta vegetariana, deve consultar um profissional especializado na área da alimentação (dietista ou nutricionista). Deve também consultar o seu médico. Isto é importante para que esta transição e a manutenção da sua nova dieta sejam acompanhadas e orientadas adequadamente. Mas certifique-se de que estes profissionais estão bem informados sobre o vegetarianismo e os diversos aspectos importantes das dietas vegetarianas, e de que se preocupam com conhecer as suas motivações e entender as suas necessidades nutricionais específicas no tipo de dieta vegetariana que quer adoptar. Caso o dietista ou nutricionista que consultar não se sinta preparado ou não esteja disposto a ajudá-lo respeitando a sua opção, deverá encaminhá-lo para outro profissional especializado na área.

Caso não o faça, por favor contacte-nos, para que o possamos encaminhar para um profissional que lhe garanta uma boa orientação dietética.



Se escolheu adoptar uma alimentação mais saudável e não-cruel, como é a alimentação integralmente vegetariana (vegana), a mudança é muito fácil e pode, em termos gerais, fazer-se, em apenas três passos. Seguindo estes passos, e obtendo um acompanhamento adequado, consegue fazer uma transição gradual, sem sentir qualquer sintoma físico e/ou psíquico de abstinência dos produtos de origem animal. A transição poderá ser feita durante um período de aproximadamente três a seis semanas (no mínimo, uma semana, e, no máximo, duas semanas por cada passo), de forma a restringir os alimentos gradualmente, permitindo a adaptação psicológica. Muitos vegetarianos fazem a transição de uma dieta omnívora para uma dieta ovo-lacto-vegetariana ou vegana de um dia para o outro – não acarretando isso nenhum problema de saúde. Pode, por isso, decidir fazer a transição de forma mais rápida. Se decidir fazer a transição gradualmente, recomendamos-lhe os seguintes passos (embora seja sempre importante certificar-se de que é acompanhado por um profissional de dietética ou nutrição que lhe possa dar orientação particular);

 

1.º Passo:

De uma dieta omnívora, passe para uma dieta em que elimina o consumo de carne, incluindo a carne de peixe (assim como crustáceos, como caranguejos e camarões, ou moluscos, como caracóis), mas em que mantém ainda, transitoriamente, o consumo de ovos, leite e derivados – ou seja, passe para uma dieta ovo-lacto-vegetariana. Nesta fase, a dieta diária será igual à dieta praticada anteriormente, à excepção do consumo de carne, incluindo de carne de peixe e outros animais. As principais fontes de proteína que consumirá nesta fase serão ainda os ovos (embora seja aconselhável que não consuma mais do que dois ovos por semana, pois são uma fonte de colesterol e gordura saturada cujo consumo se deve pelo menos reduzir muito significativamente – devendo, no caso dos vegetarianos, ser eliminado), os produtos lácteos e principalmente fontes de proteína vegetal, começando por leguminosas, como feijão e grão-de-bico. Nesta fase, deverá começar a introduzir na sua alimentação uma maior variedade de frutas frescas, frutos oleoginosos, cereais, leguminosas e legumes, e, simultanamente, deve começar desde logo a reduzir o consumo de ovos e produtos lácteos, e eliminar o consumo de mel. Inclua também novos alimentos, como o seitan e o tofu, e mesmo o tempeh e o miso, entre outros. Poderá ainda experimentar uma enorme variedade de produtos de soja e algas.
 

2.º Passo:

Passe de uma dieta ovo-lacto-vegetariana para uma dieta lacto-vegetariana, excluindo o consumo de ovos e de produtos que contenham ovo. Assim, a sua alimentação diária ainda incluirá fontes de proteína animal, como os iogurtes, os queijos e o leite, embora seja recomendável continuar a redução do consumo destes produtos já iniciada no 1.º Passo. A sua dieta deve passar a incluir maiores quantidades de fontes de proteína vegetal (que substituam cada vez mais as fontes de proteína animal) com base em cereais, leguminosas, legumes e produtos à base de soja, incluindo substitutos dos lacticínios, usando iogurtes, leites e queijos de soja.
 

3.º Passo:

Passe finalmente para uma dieta integralmente vegetariana (vegana), ou seja, livre de quaisquer alimentos de origem animal e de quaisquer alimentos que contenham ingredientes de origem animal (como alguns bolos, biscoitos e bolachas produzidos com ovos e/ou leite e/ou mel, margarinas e manteigas não vegetais, sobremesas e gelados à base de leite e/ou natas, entre muitos outros – veja os rótulos das embalagens destes produtos, para ter a certeza de que são veganos). Enquanto vegano, pode agora explorar uma variedade de produtos alimentares 100% vegetais e 100% não-cruéis. A oferta de alimentos veganos revela-se cada vez mais rica, diversificada e com muitos sabores para experimentar – e sempre mais saudáveis.

 

Importa ter em consideração que, conjuntamente com uma alimentação mais saudável e não-cruel, o seu estilo de vida deve acompanhar esta opção moral. Os veganos não se limitam a ter uma dieta exclusivamente vegetariana – fazem todos os possíveis por terem hábitos de consumo que não tenham qualquer impacto negativo nas vidas dos animais. É por isso que se recusam a utilizar qualquer peça de vestuário, qualquer acessório, objecto decorativo ou outro, que seja fruto da exploração e/ou morte de animais. Como vegano, é fundamental que não use pele/couro/cabedal, pêlo, lã, caxemira, mohair, seda ou qualquer outro tipo de tecido animal. Não consuma produtos de cosmética, higiene pessoal e doméstica que tenham sido testados em animais e que não tenham ingredientes animais. Não vá a locais onde os animais sejam explorados, como zoos, “quintas pedagógicas”, delfinários e aquários, e boicote os espectáculos de crueldade contra animais, como touradas, circos com animais e rodeios, entre outros similares. Boicote também lojas onde se vendam animais e onde se vendam pêlo de animais e outras partes de corpos de animais.




Use o seu poder de consumo para ajudar os animais, boicotando as actividades e as empresas que os exploram. Para saber mais acerca de todos os problemas que os afectam negativamente e sobre como os pode ajudar, por favor esteja à vontade para nos contactar para  info@animal.org.pt.